Você Sabe Quais os Riscos de Comercializar Cosméticos Irregulares?

Fabio Sacheto Florus - Legislação Cosméticos

Estou impressionado com o número de consultas para lançamento de novas marcas e com a quantidade de cotações para mudar trocar de fabricante.

Nunca tive esse volume de contatos desde que entrei para o Mercado de Cosméticos em 2002.

Entretanto, é mais impressionante ainda a quantidade de pedidos para fazer produtos de forma irregular.

As solicitações mais comuns são:

  1. Quero aproveitar as etiquetas que já estão impressas.
  2. Não quero perder as embalagens.
  3. Trago a produção para a Florus, mas só regularizo os produtos depois que esgotar as embalagens ou etiquetas.
  4. Preciso do Formol no meu produto, mas não quero que ele apareça na composição.
  5. Já trabalho com Ácido Glioxílico e não quero mudar.
  6. Tem tantas empresas do mercado trabalhando assim… Por que eu tenho que fazer certo?

 

Recomendo que você assista a esse vídeo e depois clique no link abaixo.

 

Se você tem curiosidade para ler a Lei do Código Penal que trata disso, clique AQUI.

 

 

Portanto, não importa o quanto você pode ganhar, mas sim o quanto você pode perder.

 

Sempre que você, como dono da marca, comercializa um cosmético que não esteja totalmente regularizado, você expõe toda a cadeia do negócio a um enorme risco. Ou seja, todos entram no risco: desde o fabricante até o lojista ou revendedora que trabalha com o produto irregular.

 

“Desconhecer uma Lei não Te Dá o Direito de Não Respeitá-la”.

 

Fique atento !!!

 

 

Se você tiver alguma dúvida, é só mandar uma mensagem ou entrar em contato, que eu e minha equipe teremos o máximo prazer em ajudar você.

 

Um grande abraço,

Fabio